quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Livros - O inocente


Eu já disse aqui várias vezes que adoro John Grisham. E não é de hoje. É verdade que às vezes fico muito tempo sem ler o autor, que ainda ñão li todos os títulos dele, mas sempre que dá corro para me deleitar nas páginas de suas histórias.

Em O inocente o autor muda um pouco o seu estilo, ao narrar um caso verídico. E esse fator é o principal diferenciador do livro, tanto de uma forma positiva quanto de uma forma negativa. Positiva justamente porque temos a oportunidade de ler algo diferente, mas com o mesmo estilo que o consagrou. E negativa porque o livro em diversas passagens se torna cansativo demais, "verídico" demais e mais parece uma coletânea de fatos do que um romance.

Para quem não é da área e não está familiarizado com termos jurídicos, imagino que a leitura se torne ainda mais enfadonha e cansativa, tendo em vista que o livro não tem uma grande trama, grandes reviravoltas, grandes momentos de suspense, como outras obras do mesmo autor.

Mas mesmo assim é um livro interessante de ser lido, pois mostra a realidade como ela é: imperfeita e muitas vezes injusta. Os fatos narrados de fato ocorreram, não foram apenas imaginados pelo autor, o que, além de tudo, faz o leitor parar para pensar.

Top 5 filmes - 2010

Como eu já disse antes, tenho mania de fazer listas. Como estamos no final do ano, resolvi fazer algumas para ir publicando ao longo dessa semana e da próxima. Não vou deixá-las muito compridas, o que torna a tarefa ainda mais difícil. Geralmente, as listas são de Top 10, mas vou deixar em Top 5. Eis os 5 melhores filmes que vi no cinema em 2010:

5 - Jogos mortais: o capítulo final

Como fã da saga de Jigsaw, eu não poderia deixar o capítulo final de Jogos mortais de fora da lista dos meus favoritos. Como eu disse na resenha que fiz, não é o meu favorito da série, mas também não é o pior... Mas, sem dúvidas, o filme merece um lugar de destaque, por ter fechado a série respondendo a todas as perguntas e sem deixar furos na história...




4 - Harry Potter e as relíquias da morte (parte 1)

O início do fim de outra saga bastante famosa é muito bom e muito bem feito, merecendo o quarto lugar na minha lista de favoritos. O bruxinho e sua turma marcaram a vida de muita gente (inclusive a minha), fizeram história para toda uma geração. O filme é bastante fiel à obra de J. K. Rowling, um aspecto muito relevante para mim... Talvez alguns fãs não entendam o porquê de o filme ter ficado apenas em quarto na minha lista. Mas, se você viu os outros três filmes, vai entender...


3 - A rede social

O filme que conta a história por trás da invenção do Facebook definitivamente me pegou.  Gostei muito da forma como a história foi contada, em forma de flashbacks, em momentos nas audiências dos processos enfrentados por Zuckerberg. Destaque também para a fantástica atuação de Jesse Eisenberg, que ajudou a transformar o filme em uma experiência única. Fantástico!!




2 - Tropa de Elite 2

É óbvio que Tropa de Elite não poderia ficar de fora da minha lista. E eu ainda fiquei em dúvida se o filme merecia o primeiro ou o segundo lugar na minha lista, considerando que é muito, mas muito bom... Mas acabei dando a ele o segundo lugar, o que não é nenhum demérito à história, a meu ver. Wagner Moura conseguiu se superar e protagonizar uma história inesquecível, que é um tapa na cara de muita gente e que faz todos nós, brasileiros, pararmos para pensar e desejar que a situação brilhantemente retratada no longa mude...


1 - A origem

E o grande campeão do ano, para mim, foi A origem. Um filmaço!!! Saí extasiada do cinema, eu simplesmente não conseguia acreditar que a mente humana tinha sido capaz de conceber uma história tão boa, tão bem elaborada quanto a do filme. Leonardo DiCaprio dá um show à parte e merece ganhar o Oscar por essa atuação... Estou na torcida, aguardando o dia da entrega das estatuetas. O melhor filme do ano!!! Definitivamente!!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Livros - O iluminado


Stephen King não é um dos meus autores favoritos. Definitivamente. Acho as histórias do autor muito fantasiosas, muito fora da realidade. Eu sei que ese é o estilo dele e não tenho nada contra livros fanasiosos, pelo contrário, adoro, mas os livros dele, por alguma razão, não me passam uma coisa boa... Sei lá. Pelo menos a maioria dos que eu já li até agora. Mas existem uns poucos livros escritos por ele que eu posso dizer que realmente gosto, e um deles, talvez o principal, o que eu gosto mais, é O iluminado.

A história do menino Danny Torrance, do seu pai Jack Torrance e do Hotel Overlook já foi bastante divulgada. Já foi adaptada mais de uma vez por cinema e é, talvez, o livro mais famoso de Stephen King. E também não é para menos. Pois o livro é muito bom.

O terrror que nos é apresentado não é aquele cheio de monstros e criaturas de outros mundos, mas sim um terror psicológico, não por isso menos intenso e aterrorizante. Cada cena, cada passagem do livro, cada alucinação de jack, cada visão do menino Danny são narradas de uma forma única, em um estilo bem próprio do autor, e que o consagrou.

Mas, é claro, a obra possui alguns pequenos pormenores, que podem ser considerados aspectos negativos, mas que não diminuem sua grandiosidade.
O principal desses aspectos é, sem dúvida, o fato de a história se tornar muito lenta, arrastada, em vários momentos, perdendo um pouco o ritmo. Mas, como eu disse, não compromete o resultado final.

Aliás, acho que praticamente todos os livros que leio perdem o ritmo em algumas passagens, em alguns capítulos. Não há como uma obra ser eletrizante da primeira à última página. Mas, uma coisa é essencial ao leitor que pretende ler não apenas O iluminado, mas qualquer obra de Stephen King: mente aberta. Pois não se sabe que surpresas virão nas páginas seguintes.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Cinema - A rede social

A rede social (The social network)
Ano: 2010
Gênero: Drama
Direção: David Fincher
Roteiro: Aaron Sorkin, baseado em livro de Ben Mezrich
Elenco: Jesse Eisenberg, Andrew Garfield, Justin Timberlake, Joseph Mazzello, Rooney Mara, Malese Jow, Armie Hammer, Liam Ferguson, Douglas Urbanski, Bryan Barter Patrick Mapel, Denise Grayson, John Getz, Rashida Jones, Josh Pence, Max Minghella




Que o filme A rede social trata da história por trás da criação do Facebook, isso todo mundo já sabe... Não trago nenhuma novidade ao iniciar meu comentário com essa frase. Mas que é um excelente filme, isso você precisa ir assistir (se ainda não foi) para constatar por si próprio. Não vou chegar ao ponto de dizer que se trata do filme do ano (como já vi algumas pessoas afirmando por aí), mas não vou negar também que é um filmaço!! Tanto do ponto de vista técnico quanto do ponto de vista da história propriamente dita.

A cena inicial do filme já chama a atenção para o que nos aguarda. E é uma cena incrível. Um diálogo entre Zuckerberg e sua então namorada Erica, onde o tema da conversa muda constantemente, onde em cada nova frase é introduzido um novo tema, mas sem deixar de lado o anterior. A sensação que eu tive foi de que sou uma pessoa completamente burra, pois, por mais que eu entendesse as palavras que eles estavam dizendo e lesse as legendas para me certificar de que eu tinha entendido corretamente, eu não conseguia acompanhar o raciocínio dos dois, eu  não conseguia acompanhar o ritmo da conversa...

Mas então o filme começa e eu entendi perfeitamente bem!!! (Ufa, que alívio!!) É claro que existe sim muita linguagem de computador, de informática, mas isso não torna o filme chato nem de difícil compreensão. Pelo contrário!! A história é fascinante e muito bem contada.

Várias coisas me impressionaram bastante ao longo do filme, mas a principal delas foi, sem dúvida, a atuação de Jesse Eisenberg. Sinceramente (ok, aqui vocês podem me chamar de alienada), se Zuckerberg passar do meu lado eu não sou capaz de reconhecê-lo, só lebro que ele tem cara de nerd, mas achei que o ator conseguiu passar muito bem a imagem de um nerd, desapegado de tudo e de todos, mas que ao mesmo tempo mostra uma solidão incrível em seu olhar. Fiquei realmente impressionada com a atuação.

Agora, eu não sei se a história aconteceu exatamente da forma como foi contada no filme, mas se alguém quer saber a minha opinião, eu não acho que ele tenha roubado a idéia dos gêmeos... Sinceramente, ele pegou uma ideiazinha mixuruca e transformou em algo genial... Aliás, o cara é um gênio. Já com relação a Eduardo, acho que ele pisou na bola com o amigo sim, não por falta de caráter, mas apenas por imaturidade e por ter se deixado influenciar pelo cara do Napster, que aliás, é um babaca! A verdade é que eu simpatizei com o jeitinho nerd do Zuckerberg retratado no filme... Vai entender... hehehe

Mas enfim, eu não considero o melhor filme do ano (esse título ainda fica, para mim, com A origem), mas que é um filmaço, isso é!!!

sábado, 18 de dezembro de 2010

Livros - Um hotel na esquina do tempo


Viver o primeiro amor já é algo bastante complicado na vida de um jovem, imaginem viver esse primeiro amor em meio a uma guerra e sendo ela a inimiga... Um hotel na esquina do tempo é um livro encantador, sobre um jovem que descobre o amor nos tempos de guerra, ao mesmo tempo em que tem que aceitar a vida com os pais e as regras e limites impostas por ele. O livro intercala a juventude de Henry, o protagonista com a sua velhice, na década de 80; intercala a relação de Henry com seu pai e a sua relação com seu próprio filho; intercala o seu primeiro grande amor com a lembrança de sua esposa e companheira; intercala passado e presente... dobra a esquina do tempo, em 40 anos.

A história se passa nos Estados Unidos e tem como pano de fundo o tratamento dispensado aos japoneses após Pearl Harbor. Trata dos aspectos pessoais da vida desses japoneses, de suas dificuldades encontradas no quotidiano, mas trata também das medidas do governo americano para isolar e tirar esses japoneses de suas ruas e cidades.

A leitura é muito boa, o livro é apaixonante. Os confitos de Henry são o traço mais marcante da obra: primeiro, ele é obrigado pelo pai a usar um botton com os dizeres "sou chinês", para não ser confundido com os japoneses, mas ao mesmo tempo ele é americano, estuda em uma escola americana, seus colegas são americanos.

Uma das coisas que primeiro despertou o meu interesse pelo livro foi o seu título, que eu achei bastante forte, marcante e poético... Depois li a resenha, e a vontade de ler apenas aumentou. Agora que já li, tenho que dizer: é muito bom e vale sim a pena ser lido!!! Porque Um hotel na esquina do tempo trata da guerra e dos tempos difíceis que se seguem a ela, mas trata, principalmente, de amor e de esperança... dois assuntos que nunca devem ser deixados de lado, principalmente quando inseridos em uma obra de ótima qualidade e muito tocante...

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Foto da semana

Bem, hoje vou mudar drasticamente o Foto da semana. Geralmente costumo colocar aqui fotos de paisagens ou locais bonitos que visitei. Mas hoje a foto vai ser de um prato inesquecível que comi. Uma enchilada perfeita que comi em um restaurante mexicano, chamado Guacamole, na Praia de Pipa... Quando eu olho para foto lembro de como estava deliciosa!!! Fico com água na boca só de pensar!!! E, para meu total desespero e ao mesmo tempo felicidade, o garçom que me atendeu lá disse que o restaurante vai abrir uma filial aqui em Natal... Aiaiai!!!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Livros - A sombra do vento


Muito envolvente, completamente sedutor. Não há outra forma de descrever A sombra do vento, de Carlos Ruiz Zafón. Eu li o livro com aquela ânsia de devorar cada página, mas ao mesmo tempo com pena de chegar ao final. Ao passo que queria demais o que iria acontecer em seguida, lamentava cada página virada, que significava que eu estava cada vez mais próxima do fim, do desfecho da trama. E que desfecho...

A sinopse, que retirei do Skoob, é bastante extensa, mas vale a pena ser lida:

"A Sombra do Vento é uma narrativa de ritmo eletrizante, escrita em uma prosa ora poética, ora irônica. O enredo mistura gêneros como o romance de aventuras de Alexandre Dumas, a novela gótica de Edgar Allan Poe e os folhetins amorosos de Victor Hugo. Ambientado na Barcelona franquista da primeira metade do século XX, entre os últimos raios de luz do modernismo e as trevas do pós-guerra, o romance de Zafón é uma obra sedutora, comovente e impossível de largar. Além de ser uma grandiosa homenagem ao poder místico dos livros, é um verdadeiro triunfo da arte de contar histórias.
Tudo começa em Barcelona, em 1945. Daniel Sempere está completando 11 anos. Ao ver o filho triste por não conseguir mais se lembrar do rosto da mãe já morta, seu pai lhe dá um presente inesquecível: em uma madrugada fantasmagórica, leva-o a um misterioso lugar no coração do centro histórico da cidade, o Cemitério dos Livros Esquecidos. O lugar, conhecido de poucos barceloneses, é uma biblioteca secreta e labiríntica que funciona como depósito para obras abandonadas pelo mundo, à espera de que alguém as descubra. É lá que Daniel encontra um exemplar de "A Sombra do Vento", do também barcelonês Julián Carax. O livro desperta no jovem e sensível Daniel um enorme fascínio por aquele autor desconhecido e sua obra, que ele descobre ser vasta. Obcecado, Daniel começa então uma busca pelos outros livros de Carax e, para sua surpresa, descobre que alguém vem queimando sistematicamente todos os exemplares de todos os livros que o autor já escreveu. Na verdade, o exemplar que Daniel tem em mãos pode ser o último existente. E ele logo irá entender que, se não descobrir a verdade sobre Julián Carax, ele e aqueles que ama poderão ter um destino terrível."

A primeira coisa pela qual me apaixonei no livro foi pelo Cemitério dos Livros Esquecidos. A descrição do autor do local é fantástica e eu ficava me imaginando no meio daqueles corredores e mais corredores de livros, tendo a ingrata missão de escolher apenas um...

Outro fato que achei bastante interessante é que se trata de um livro cujo personagem central é, de certa forma, um outro livro. Isso porque, mesmo sendo Daniel o protagonista do romance, ele jamais ocorreria sem a presença, no enredo, do livro de Julián Carax.

Os personagens criados por Zafón tem, em linhas gerais, um lado sombrio bastante explorado pelo autor, o que aumenta o clima de mistério ao longo das páginas e torna a trama mais eletrizante e envolvente. AS histórias que se entrelaçam e se confundem também contribui bastante para isso.

Enfim, um livro muito bom, que prende da primeira à última página e que definitivamente merece ser lido e relido.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Novidades para 2011


Quando eu comecei esse blog em maio, foi mais como uma forma de eu voltar a escrever sobre as coisas que eu gosto... Mais como um hobby, um passatempo, uma coisa minha, depois de ter ficado um bom tempo longe do "mundo" dos blogs... E assim tem sido desde então. Eu nunca me preocupei muitos com feedback, com comentários, com o fato de as pessoas lerem ou não o que eu escrevo aqui.

Mas depois de quase um ano, tomei gosto por ele e, já que estamos começando um novo ano, resolvi fazer algumas mudanças no blog. Na verdade não são bem mudanças, mas sim novas coisas, novos assuntos abordados aqui no blog, enfim, novas idéias...

A meta principal para o ano de 2011 será atrair seguidores para o blog. Vou me valer de todas as ferramentas possíveis para isso: blogs amigos, Skoob, Twitter... Enfim, várias são as possibilidades nesse mundão da net...

Além dos temas que já são tradicionalmente abordados aqui no blog, como livros, cinema, seriados, fotografia, continuarei publicando textos de minha autoria e passarei a abordar novos temas também. De cara, dois novos assuntos serão mais abordados por aqui... Viagem e moda. Ainda não decidi exatamente a forma como eles serão abordados, mas estou pensando em criar novas sessões para o blog. Em princípio se chamarão Diário de Bordo (viagem) e a de moda ainda não tenho o nome, mas certamente fará alguma referência à minha personagem favorita, Becky Bloom... hehehe

Outra sessão será a Falando de..., que não terá um tema fixo. Mas sempre que eu quiser falar sobre algo que fuja um pouco do que normalmente é abordado por aqui, entrará nessa sessão.

Outra coisa que pretendo fazer, copiando descaradamente a Tatá, do blog Happy Batatinha, é uma Lista ilustrada das pequenas coisas que me fazem feliz. Pretendo fazer a lista com 52 itens, para ser publicada uma vez por semana. Os itens não serão publicados em ordem de preferência, apenas de acordo com a minha comodidade e com a conveniência de fazer as fotos, que serão todas de minha autoria.

Outra coisa que pretendo é participar do maior número possível de desafios, memes, listas, discussões... Por enquanto já estão certos a Retrospectiva literária 2010 e o Desafio literário 2011. Mas tenho certeza que ao longo do ano novos surgirão, e eu não hesitarei em participar...

E, para finalizar, outra coisa que eu pretendo é mudar a cara do blog. Mas isso ainda vai demorar um pouco, pois eu não entendo muito... pretendo ainda me familiarizar mais com essa coisa de layout, HTML ou sei lá o que precisa para mudar um pouco isso aqui... heheheh

Bem, acho que é isso... E que venha 2011!!!!

sábado, 11 de dezembro de 2010

Livros - Coleção As Brumas de Avalon


Várias e várias foram as oportunidades que eu tive de ler As Brumas de Avalon, sempre deixando de lado ou adiando, por uma razão ou outra. Mas aproveitei uma promoção no submarino e adquiri os livros. E tenho que dizer que foi uma leitura bastante interessante.

Esperava um pouco mais de ação, de lutas e batalhas, por se tratar das aventuras do Rei Arthur. Mas isso não ocorre tanto em As Brumas de Avalon, tendo em vista que a história é narrada sob a perspectiva das mulheres da lenda. Mas foi muito interessante ver esse outro lado da história.

Os conflitos entre Morgana e Guinevere, que retratam também o conflito entre as religiões, é o ponto forte da saga. Mas há outros temas abordados que tornam a leitura única e, repita-se, bastante interessante: os casamentos arranjados, a importância dos filhos, o sexo e, é claro, o amor. 

É verdade que em alguns momentos a leitura se torna um pouco enfadonha e o ritmo das histórias cai, mas nada que comprometa a qualidade e a genialidade da obra, que é muito boa!!

Não vou falar sobre cada volume da série, apenas dizer que, como um todo, é uma leitura indispensável!!!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Livros - Melancia


Depois de adiar várias e várias vezes (sem nenhuma razão específica), resolvi mergulhar no universo feminino de Marian Keyes. Decidi começar pelo seu primeiro livro e, aparentemente, seu maior sucesso, Melancia. Não sabia exatamente o que esperar do livro, mas devo admitir que não me surpreendeu bastante.

A personagem principal é Claire, uma garçonete que é abandonada pelo marido após o nascimento de sua primeira filha. Além de abandoná-la, ele decide também informá-la que está tendo um caso com uma outra mulher. Arrasada e sem saber direito o que fazer da vida, ela volta para a casa de seus pais, a fim de colocar a cabeça e a vida em ordem novamente. 

O principal problema do livro é que a história demora para começar a acontecer... Durante várias e várias páginas tudo o que vemos é o sofrimento de Claire e sua falta de atitude diante da vida e, principalmente, da filha, que fica praticamente abandonada aos cuidados da avó. A história vai se arrastando sem que nada aconteça, até o momento em que Claire conhece Adam, um amigo de sua irmã mais nova, e se interessa por ele. Aí o livro muda drasticamente, e ganha mais ritmo, se torna mais divertido e mais dinâmico.

Mas, mesmo assim, algumas passagens do livro e situações vivenciadas pela protagonista não me agradaram, razão pela qual dei ao livro apenas três estrelas no Skoob. É uma leitura leve, descontraída, mas não me prendeu tanto quanto eu achei que prenderia, considerando que eu adoro chick-lit. Mas, mesmo assim, pretendo, em breve, ler outros livros da autora, que tem uma narrativa fácil e um estilo envolvente de escrever. O próximo que pretendo ler é Férias!, que conta a história de uma das irmãs de Claire.

O livro, de uma forma geral, é bom. A protagonista é bastante carismática, apesar dos momentos de "chatice" que eu descrevi antes e a família dela é uma comédia. E Adam é um amor.... dá vontade de agarrar!!!

Realidade virtual



Todos os dias ela acorda às 7 da manhã. Enquanto o café passa, come um pão fresquinho (quem vai comprá-los todos os dias?) e toma um copo de suco. Quando o café está pronto enche uma caneca, acende um cigarro e senta em frente ao computador.

Seu dia geralmente começa no Twitter. Vê se houve alguma @Mention ao seu username, retwita - e desde quando twitar é verbo? No mundo moderno, já virou!! -  algumas notícias interessantes, se atualiza um pouco. Em seguida atualiza as suas leituras no Skoob. Abre ao mesmo tempo o Orkut e o Facebook, para ver se há algum recado novo ou alguma foto interessante. Dá parabéns aos aniversariantes do dia. Abre seus três e-mails (também simultaneamente), apaga as propagandas e os spam, lê os interessantes (os relativos ao trabalho ela deixa para depois, quando chegar no escritório ela lê e responde).

A essa altura o café já acabou, e ela vai pegar mais. Acende outro cigarro. É hora de entrar no blog e ver os comentários... Quem sabe dá tempo de um post novo antes de ter que sair? Responde a todos e am seguida abre o seu reader para ver as novidades dos blogs que ela segue. Começa então a maratona de visitas e comentários... Olha para o relógio. Já está ficando tarde.

Mas ainda dá tempo de dar uma olhada nas notícias do dia – ela pensa. E passeia pelos principais sites de informação. Pula as notícias chatas, sobre política e economia, mas não deixa de dar uma espiada em seu horóscopo em todos eles... Algumas fofocas sobre as celebridades, o resumo dos capitulos das novelas...

Agora eu realmente preciso ir... Mas não sem antes dar uma última olhadinha no Twitter... Quem sabe se amanhã eu for mais rápida, dê tempo de jogar um pouco de Colheita Feliz antes de ter que ir trabalhar... de qualquer forma, sempre dá para jogar à noite, enquanto estou no MSN...

P.S.: Qualquer semelhança com a autora do texto é mera coincidência... ou não?

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Cinema - Muita calma nessa hora

Muita calma nessa hora
Ano: 2010 
Gênero: Comédia
Direção: Felipe Joffily
Roteiro: Bruno Mazzeo, João Avelino e Rosana Ferrão
Elenco: Gianni Albertoni, Andréia Horta, Fernanda Souza, Débora Lamm, Dudu Azevedo,  Lúcio Mauro Filho, Bruno Mazzeo, Nelson Freitas, Maria Clara Gueiros



Uma das razões que leva uma pessoa a gostar de um filme é o momento em que ela vai assisti-lo. Fui ver esse filme com uma amiga e foi impossível, para nós duas, não nos identificarmos bastante com a história, que trazia situações por nós vividas recentemente. Por isso, não teve como eu não gostar do filme.

Entretanto, mesmo adorando o filme, que retrata de forma bastante jovem e descontraída as aventuras de três amigas em busca de diversão e curtição, eu não pude deixar de notar que o filme é repleto de clichês. Mas o engraçado é que esses clichês não chegaram a me incomodar muito, como geralmente ocorre. Não sei, a verdade é que achei o filme bastante divertido.

Uma coisa que chamou a minha atenção de forma positiva foi a diferença dos filmes brasileiros que normalmente são lançados. São geralmente filmes que retratam as dificuldades e as mazelas do nosso país, por isso foi gratificante ir ao cinema ver uma produção nacional que tem o intuito principal de divertir... Isso porque Muita calma nessa hora é um filme leve e despretencioso, que vem renovar o nosso cinema.

O elenco principal está muito bem, mas o destaque mesmo vai para as participações especiais. Pequenos papéis, interpretados por rostos familiares, que dão um toque a mais à produção. Recomendo, definitivamente!!

Foto da semana

Mais uma da viagem a João Pessoa que fiz recentemente. Essa é do belíssimo por-do-sol, visto da janela do flat onde eu fiquei hospedada. Não preciso dizer muita coisa, a imagem já diz tudo...

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Brincadeira da Tag

Essa é um meme que a Vivianne Fair do Recanto da Chefa inventou e a Tatá do Happy Batatinha me convidou para participar. A brincadeira é simples, basta colocar o selinho no blog e responder as perguntinhas básicas e depois taggear pessoas também! Bora?






10 ou mais coisas sobre você (qualquer coisa)
01. Tenho 29 anos. Nasci no dia 24 de abril de 1981, o que faz de mim uma taurina mandona, possessiva, teimosa e atrevida.
02. Sou advogada. Sempre quis ser advogada, mas atualmente estou meio frustrada com a profissão (talvez seja apenas uma fase).
03. Adoro dormir e ODEIO acordar cedo.
04. Amo viajar.
05. Tenho muita vontade de ter um negócio próprio.
06. Estou sem namorado atualmente, em uma fase de curtir bastante a vida.
07. Sou extremamente preguiçosa...
08. Em março deste ano, fiz cirurgia de redução de estômago (gastroplastia) e já perdi 36 quilos.
09. Tenho duas sobrinhas (Beatriz e Maria Luiza) e sou completamente apaixonada por elas.
10. Apesar de não aparentar, sou tímida.

5 ou mais esquisitices suas:
01. Tenho mania de fazer lista de coisas.
02. Vivo lutando contra a péssima mania de roer as unhas.
03. Tenho medo de altura, de escada, elevadores e verdadeiro pavor de baratas.
04. Tenho muito medo de que meu carro seja roubado (enquanto eu não vejo meu carro, principalmente quando estaciono na rua, eu não sossego).
05. Gosto de ler revistas de trás para frente.

5 ou mais coisas que te irritam
01. Ficar sem internet.
02. Quando alguém tenta me manipular.
03. Que mexam nas minhas coisas.
04. Quando alguém diz que eu estou errada e eu tenho certeza que estou certa.
05. Ser acordada (despertador pode, mas telefone ou campainha tocando... ninguém merece!!!)

5 ou mais coisas que você adora
01. Dormir
02. Ler
03. Assistir seriados
04. Cinema
05. Cozinhar

5 hobbies seus
01. Fotografia
02. Fazer scrapbooking
03. Montar quebra-cabeças
04. Escrever
05. Jogar tênis
06. Todas as coisas do item anterior

5 coisas que ninguém sabe sobre você
01. Eu já fiquei com o paquera/namorado/ficante de uma amiga (não vou dizer qual para a amiga não desconfiar... hehehe)
02. Eu não sei costurar e não adianta, ninguém consegue me ensinar (talvez o fato de eu ser canhota dificulte um pouco)
03. Eu não costumo contar sobre o meu blog para os meus amigos "reais" (não me perguntem porque...)
04. Eu odeio gatos
05. Eu sou uma pessoa extremamente competitiva.

Seu maior sonho
Ter dinheiro suficiente para poder viver bem sem precisar trabalhar (mas se for um negócio meu, não me importo de trabalhar)

Seu maior medo
Que meus pais morram

Pessoas taggeadas
Todos os blogs que eu costumo acessar já participaram ou já foram convidados a participar da brincadeira, por isso vou deixar essa parte livre para quem quiser responder...

Livros - A mesa voadora


Gostei mais de A mesa voadora  do que de As mentiras que os homens contam, o outro livro de crônicas de Veríssimo que li recentemente. Entretanto, ainda tenho que dizer que o livro ainda deixou um pouco a desejar. Isso porque, mais uma vez, as situações narradas são um tanto esdrúxulas e forçadas.

Ao longo da leitura, é impossível não saltar aos olhos a paixão do autor por comer, ou melhor, por comer bem. Alguns dos textos são muito bons e deixam o leitor com água na boca. Entretanto, ainda faltou ao livro, como um todo, um pouco mais de tempero...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Linhas gerais...

Um pouco de tudo e de nada...

- Minha viagem para o Rio de Janeiro foi oficialmente cancelada. A essa hora eu deveria estar voando, mas o medo e a insegurança falaram mais alto... mas na verdade a viagem foi apenas adiada, já que irei dia 17, só que sem minhas amigas, vou para passar o final de ano com a família;
- Hoje a Tábata, do blog Happy Batatinha publicou uns marcadores de livro que fiz inspirada em um de seus posts na sessão marcadores de quinta dos leitores. Fiquei tão feliz!!!!!
- Esse fim de semana está acontecendo aqui em Natal o Carnatal (carnaval fora de época). Resultado, a cidade está um inferno, um trânsito louco... resultado: lá vou eu viajar mais uma vez... é o terceiro fim de semana que passo fora de Natal, dos últimos 4. E, no único que fiquei aqui, veio visita de fora... hehehe. O destino: Pipa, novamente!!!
- Hoje comecei a faxina da casa do final de ano... Mesmo eu não estando aqui no Natal e Reveillon, quero minha casa toda limpinha e arrumadinha... Vamos ver se eu consigo!!

Por ora é só!!!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Cinema - Harry Potter e as relíquias da morte (parte 1)

Harry Potter e as relíquias da morte - Parte 1 (Harry Potter and the deathly Hallows: part 1)
Ano: 2010
Gênero: Aventura
Direção: Andrew Ackland-Snow, Mark Bartholomew, Alastair Bullock, Christian Huband, Molly Hughes, Hattie Storey e Gary Tomkins
Roteiro: Steve Kloves, baseado em livro de J. K. Rowling
Elenco: Daniel Radclife, Emma Watson, Rupert Grint, Ralph Fiennes, Helena Bonham Carter, Alan Rickman, Bill Nighy, Jason Isaacs, Maggie Smith, John Hurt, David Thewlis, Timothy Spall, Imelda Staunton

Finalmente chegamos ao começo do fim... Depois de uma longa espera, pude conferir a primeira parte da adaptação do último livro da saga do bruxinho mais famoso do mundo e sua turma. A princípio, achei que a idéia de dividir o filme em duas partes fosse apenas uma jogada para se ganhar ainda mais dinheiro com Harry Potter (e sei que também foi isso), mas depois de assistir ao longa, vi que fez sentido. Isso porque o filme foi bastante rico em detalhes, e seria praticamente impossível contar toda a história do sétimo livro em menos de três horas, do contrário, ou o filme ficaria muito demorado ou seria pobre na história...

Mas o que falar do filme? É muito bom. Muito bem feito e muito intenso. Não vou adentrar no mérito da história, pois os fãs da série já conhecem o enredo e não quero estragar as surpresas para os que não leram o livro mas viram os outros filmes.

Algumas mudanças foram feitas em relação à obra escrita, mas isso não diminuiu em nada a história, pelo contrário, tais mudanças tornaram o filme mais dinâmico e mais agradável de se ver. A história, definitivamente, soube ser contada.

Como eu disse antes, o que mais chamou minha atenção foi a riqueza de detalhes do longa. Eu me senti dentro das páginas da obra de J. K. Rowling, o que não ocorreu em outros filmes que, a meu ver, deixaram a desejar um pouco nesse quesito. Tenho certeza que os fãs ao redor do mundo estão muito satisfeitos com essa adaptação, repleta de aventura, ação, tensão, romance e, como não poderia deixar de ser, amizade e lealdade...

O final do filme foi lindo, comovente, com a morte de um dos meus personagens não-bruxos favoritos... E que venha a segunda parte, com o adeus definitivo!!!

Retrospectiva literária 2010


Mais uma idéia que eu adorei e que decidi participar... Todos os participantes deverão publicar suas respostas no dia 03 de janeiro de 2011, em uma lista com os seguintes livros:

  • O livro infanto-juvenil que mais gostei:
  • A aventura que me tirou o fôlego:
  • O terror que me deixou sem dormir:
  • O suspense mais eletrizante:
  • O romance que me fez suspirar:
  • A saga que me conquistou:
  • O clássico que me marcou:
  • O livro que me fez refletir:
  • O livro que me fez rir:
  • O livro que me fez chorar:
  • O melhor livro de fantasia:
  • O livro que me decepcionou:
  • O(a) personagem do ano:
  • O(a) autor(a) revelação:
  • O melhor livro nacional:
  • O melhor livro que li em 2010:
A idéia surgiu do blog Pensamento Tangencial. Quer participar? Basta deixar um comentário por lá e começar a pensar na sua retrospectiva literária...

O Meme literário de um mês - Dia 30

Dia 30 - Qual(is) livro(s) você está lendo agora?

O meme literário chegou ao fim... foi uma experiência muito gratificante e adorei ter participado. Bem, mas vamos deixar de choradeira, porque certamente outros virão no futuro e responder à pergunta de hoje:

Estou lendo quatro livros atualmente. São eles:

- Sapatólatras anônimas, de Beth Harbison;
- A casa do penhasco, de Agatha Christie;
- Se houver amanhã, de Sidney Sheldon; e
- A filha da floresta, de Juliet Marillier.

Eu sei que são muitos livros para se ler ao mesmo tempo, mas eu sou assim mesmo...

Obrigada a todos que passaram por aqui ao longo desse mês, que deixaram seus recadinhos, que trocaram experiências, que participaram do meme. Um obrigada especial à Tábata, por ter criado o meme.

E continuem visitando o blog!!!

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

O Meme literário de um mês - Dia 29

Dia 29 - Um escritor que você adora e um que você detesta


Adoro:






Eu já devo ter comentado aqui antes que um dos meus escritores favoritos é John Grisham. Leio os livros do autor desde a adolescência, adoro a narrativa dele, adoro os temas dos livros dele. O autor tem um estilo próprio e inconfundível e faz parte da minha vida... Aliás, acabei de ler um livro dele, O inocente. Em breve, comentários.

Detesto:




Sei que o autor sofre muito preconceito, que várias e várias pessoas dizem que não gostam dele mesmo não conhecendo sua obra. Eu li, já faz algum tempo, O diário de um mago e simplesmente detestei. Some-se a isso algumas das declarações que ele já deu por aí, e o resultado é que eu não gosto dele e pronto.

Fotos da semana - Fim de semana em João Pessoa

Para quem nunca foi muito fã de praia, eu tenho ido bastante ultimamente... Na verdade, não é que eu não goste de praia, eu apenas não gosto de sol (sou branca demais e fico toda vermelha, ardendo, e não bronzeada) e de tomar banho de mar (porque eu não consigo ver onde estou pisando - mais uma das minhas várias neuroses). Mas, tirando esses dois "pequenos detalhes", eu adoro praia... hehehe

Bem, a visita desse fim de semana foi à Praia dos Coqueirinhos, na Paraíba... Algumas fotos do belíssimo visual...









domingo, 28 de novembro de 2010

O Meme literário de um mês - Dia 28

Dia 28 - Um livro que você gostaria de ter lido mas por algum motivo nunca leu



Não há um motivo específico para eu nunca ter lido o livro, apesar de querer bastante. Só a velha desculpa da falta de tempo... Ah, e tem outra desculpa que é muito boa também... São tantos os livros que eu quero ler, que sempre acabo pegando outro e deixando esse para depois. O que não significa que eu não irei lê-lo... porque eu irei, em algum momento...

sábado, 27 de novembro de 2010

A agenda


Hoje ganhei de presente de uma amiga uma agenda para o ano que vem. Do jeitinho que eu gosto, com a capa rosa, pequenininha, cabe em qualquer bolsa (bem, pelo menos em qualquer bolsa para onde se vale a pena sair com uma agenda).

Como a maioria das pessoas, eu tenho o hábito de parar de fazer anotações em agendas no máximo no mês de abril... aí quando chega em agosto, setembro, as coisas começam a tumultuar, e eu sinto falta da danada, mas a essa altura eu nem sei mais onde ela foi parar...

Mas olhar para uma agenda em branco, novinha, de um ano que está para começar é uma coisa que de alguma forma mexe um pouco comigo... Fico olhando para aquelas páginas em branco, imaginando quais surpresas, quais alegrias, quais decepções aqueles dias que ainda estão por vir me trarão...

Essa agenda em particular foi presente de uma amiga muito especial, por isso vou tentar tratá-la de forma um pouco diferente das demais, esperando que possa registrar nela momentos de muita felicidade...

O Meme literário de um mês - Dia 27

Dia 27 - Se um livro tem _____, você sempre lê

Mais uma vez vou dar duas respostas ao invés de apenas uma. A primeira delas é SERIAL KILLERS. Adoro livros que envolvam assassinos em série, investigações, detetives... Vou citar alguns livros recentes sobre serial killers que li:

- O colecionador de ossos, de Jeffery Deaver;
- Criança 44, de Tom Rob Smith;
- Dexter - a mão esquerda de Deus;
- Querido e devotado Dexter;
- Dexter no escuro, todos de Jeff Lindsay.

Todos muito bons e que eu definitivamente recomendo.

Entretanto, enquanto pensava no post para o dia de hoje do meme, eu não conseguia tirar outra palavrinha da minha cabeça, JÚRI, que também é um grande "chama" para eu ler um livro, daí a razão pela qual adoro o escritor Joh Grisham. Sou fascinada pelo direito americano, que em pouco se assemelha ao nosso. Então, basta saber que um livro tem um julgamento, eu já fico me coçando toda para ler... Depoimentos, provas, deliberações, testemunhas... tudo isso me fascina. Inclusive, acabei de ler dois livros que tinham julgamentos:

- Jovens esposas, de Olivia Goldsmith;
- O inocente, de John Grisham.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Ir ou não ir... eis a questão



Há uns dois meses atrás, eu e três amigas começamos a planejar uma viagem... o destino escolhido foi o Rio de Janeiro. A época escolhida, foi no período do Carnatal (carnaval fora de época aqui de Natal), uma festa que nenhuma das quatro gosta... Como meus pais moram no Rio e eu visito constantemente a cidade, não me empolguei muito a princípio, mas depois percebi que seria uma viagem diferente das que eu costumo fazer para a cidade. Geralmente, faço mais programas familiares, mas dessa vez, eu iria para passear, para turistar, para revisitar os pontos turísticos da cidade (coisa que não faço desde que era criança)... Enfim, acabei me animando bastante...

Passagens marcadas, mala sendo arrumada... No entanto, os recentes eventos do Rio de Janeiro estão me fazendo ter dúvidas com relação a ir ou não ir... Como eu disse, eu vou ao Rio pelo menos duas ou três vezes por ano. E eu geralmente não me sinto insegura lá. É claro que tomo certos cuidados contra assaltos, mas às vezes não há muito a ser feito... É uma questão de sorte e de rezar...

Mas dessa vez eu estou realmente insegura. Não vou adentrar no mérito da questão: violência, bandidos, polícia, políticos... pois os fatos estão estampados em todos os meios de mídia e a realidade é conhecida por todos... Vou apenas externar minha indignação e minha preocupação com a cidade e com os meus parentes que lá residem e torcer por uma ação efetiva das autoridades para que a situação melhore até a semana que vem... do contrário, eu não sei se valerá a pena ir para lá...

O Meme literário de um mês - dia 26

Dia 26 - Um livro que você gostaria de ter escrito






Bem, aqui, mais uma vez, eu escolhi dois livros, e não apenas um. Mas, por razões bem diferentes... Levando em consideração o aspecto da grandiosidade da obra, eu gostaria de ter escrito O conde de Monte Cristo. Como eu já disse antes, essa obra exerce um grande fascínio sobre mim... Aliás, tenho até que relê-la qualquer dia desses...




Mas, se eu for levar em consideração o aspecto financeiro... nesse caso, eu definitivamente gostaria de ter escrito Harry Potter... Pois não há dúvidas de  que o bruxinho e sua turma transformaram J. K. Rowling em uma bilionária... hehehe

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

O Meme literário de um mês - Dia 25

Dia 25 - 5 livros que estão na tua pilha de "vou ler"

Bem, pra responder ao item de hoje do meme eu recorri aos livros que estão selecionados como "vou ler" na minha estante do Skoob. Só que eu mantenho essa lista bem pequena... Entre os livros que estou lendo e os que vou ler, mantenho sempre um número de 15, e vou acrescentando novos a medida que vou terminando as leituras. Ah, e também costumo ler na ordem em que eu vou colocando os livros lá... eu e minhas neuroses... hehehe

Então vamos aos cinco:






Sapatólatras anônimas, de Beth Harbison, é um dos livros. Não conheço o trabalho da autora, mas estou precisando de uma leitura leve nos próximos dias... o livro tem uma 3,9 de avaliação no Skoob. Vamos ver o que a leitura reserva...


Continuando a minha meta de ler/reler todos os livros de Agahta Christie, a minha próxima leitura da autora é A casa do penhasco. Esse eu nunca li, será inédito. A avaliação do livro no Skoob também é 3,9. Vamos ver o que vem pela frente para Hercule Poirot...


Outra leitura na minha lista é A filha da floresta, de Juliet Marilier. Na verdade é uma trilogia, composta, além desse, por O filho das sombras e A filha da profecia. Pretendo ler a trilogia em sequência. Não conheço a autora, mas foi indicação da Luma Kimura, e não vejo a hora de começar logo, de tão bem que ela falou dos livros...


A fantástica fábrica de chocolate, de Roald Dahl faz parte da minha lista do Desafio Literário 2011, para o mês de janeiro. Um clássico da literatura infanto-juvenil, que pretendo saborear em breve...


E, para finalizar, As crônicas de Nárnia, de C. S. Lewis, também para o Desafio Literário 2011. Coloquei aqui apenas o primeiro volume, mas na verdade vou ler todos. É que consegui emprestado, e os que consegui foram os livros separados, por isso cada um vai ser marcado individualmente, inclusive no Skoob (eu e minhas neuroses...). Mas eu considero um livro só... Confesso que já comecei a ler mas parei, nã porque não estivesse gostando, mas por total falta de tempo mesmo...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Livros - Morte nas nuvens


Mais um clássico de Agatha Christie que li recentemente. E um bem do estilo dos livros dela que eu gosto. Isso porque o assassinato que Poirot terá que investigar se dá dentro de um avião (como o título do livro sugere), o que reduz drasticamente a quantidade de suspeitos. 

Assim como em outros livros da autora, o assassino acaba se relevando um dos suspeitos menos prováveis, alguém de quem jamais desconfiaríamos... E é esse elemento surpresa que faz com que os livros da autora se tornem únicos e extremamente interessantes de se ler.

É claro que em alguns esse elemento surpresa pode parecer um pouco exagerado e o final sair um pouco "forçado", como aconteceu, na minha opinião, em Morte nas nuvens. O final foi realmente inusitado, mas mesmo assim, foi uma leitura interessante, pois foi uma das poucas vezes em que eu vi Poirot um tanto confuso em uma investigação, ou pelo menos fingindo estar... hehehe

Confusão...

Texto antigo, mas que se aplica a algumas experiências por mim vividas nos últimos tempos... Para provar que nem sempre aprendemos com nossos erros, por mais que achemos que já aprendemos e que não vamos repeti-los...




Você nem imagina a confusão que provocou dentro de mim...chegou como quem não quer nada, com seu jeito mansinho, seu olhar penetrante, para tirar a minha paz. Trouxe para a minha vida momentos de felicidade e prazer e depois seguiu seu rumo, deixando para traz um turbilhão de sentimentos e emoções que eu não imaginava ser capaz de sentir...

Não consigo entender o que provocou tais sentimentos dentro de mim. O que a sua presença teve de tão especial a ponto de me fazer perder a sanidade, de agir movida apenas pelos meus impulsos, sem medir as consequências dos meus atos. Foi apenas o seu jeito que me cativou? Foi a emoção de romper alguns limites, de sair do convencional? Eu não sei...

O que eu sei é que você passou rapidamente pela minha vida, mas deixou a sua marca. Tomou a sua decisão, seguiu em frente, e me deixou aqui sem saber o que fazer com todos essas questões dentro de mim, querendo saber, principalmente, se valeu a pena...

_________________________________
"We are strangers by day, lovers by night.
Knowing it´s so wrong, feeling so right."
(Part-time lover, Copeland)