quarta-feira, 13 de abril de 2011

Livros - Contato (DL 2011)

Desafio literário - mês de abril - livro 1


O tema do mês de abril do DL 2011 é ficção científica e um dos livros que escolhi foi Contato de Carl Sagan. Uma obra singular, que permite muita reflexão e modifica todo aquele conceito de que seres extraterrestres estão relacionados a homenzinhos verdes.

Eu já tinha uma noção da história por ter visto o filme, mas devo dizer que apesar de ser muito boa também, a película em nada se compara ao livro, que é muito mais rico.

Através da descoberta de uma mensagem enviada por seres extraterrestre que determina a construção de uma máquina, o autor traz valiosas lições sobre Fé X Ciência, sobre razão X emoção. O autor discorre sobre filosofia, religião, ciência, política e outros assuntos de uma forma técnica, mas sem ser cansativa para o leitor. Sagan consegue manter o ritmo da obra e prender a atenção do leitor mesmo ao apresentar diversas teorias científicas.

Os personagens são sólidos e bem construídos, especialmente Ellie, a protagonista, uma mulher imperfeita, mas uma cientista brilhante, que tem seu ponto forte no amor e admiração que sente pelo pai falecido quando ela ainda era uma criança.

Para finalizar, uma das diversas passagens que despertaram minha atenção:

"O senhor vê com maus olhos o ceticismo científico. Mas há um motivo para esse ceticismo ter surgido. O mundo é complicado. É sutil. A primeira idéia que passa pela cabeça de uma pessoa não será necessariamente correta. Além disso, as pessoas são capazes de iludir a si mesmas. Até os cientistas. Todas as doutrinas socialmente abomináveis já foram, numa ou em outra época, apoiadas por cientistas, cientistas conhecidos, cientistas de grande renome. E, naturalmente, por políticos. E por líderes religiosos respeitados. Por exemplo, a escravidão, ou a variedade nazista do facismo. Os cientistas cometem erros, os teólogos cometem erros, todo mundo comete erros. Isso faz parte do homem. Os senhores mesmo dizem: 'Errar é humano'.
Assim, a maneira que se tem para evitar os erros, ou pelo menos reduzir as possibilidades de se cometerem erros, consiste em ser cético. Põem-se as idéias à prova. Não acredito que existam verdades recebidas. Mas quando se permite o entrechoque de opiniões divergentes, quando qualquer cético pode realizar sua própria experiência a fim de comprovar a verdade ou a falsidade de alguma idéia, então a verdade tende a aparecer. Essa é, em síntese, toda a história da ciência. Não é um caminho perfeito, mas é o único que parece funcionar."

Nota: 4

2 comentários:

Aline M. Gomes disse...

Mais um autor que eu não conhecia.
Tenho percebido pelas resenhas e tb pelas minhas leituras que a FC sempre critica algo institucionalizado.

Boa resenha!

Vivi disse...

Parece-me bom, reflexivo...quero ler. No mais, o que me vem à mente é a ideia de que há muito mais coisas entre o céu e a terra do que sonha nossa vã filosofia, nosso vão olhar...Bela resenha!

Beijocas

Postar um comentário